Arissas Multimídia Juca Kfouri sobre “Maracanã”

Juca Kfouri sobre “Maracanã”

Em sua coluna de hoje na Folha de S. Paulo, o jornalista Juca Kfouri escreveu sobre o filme “Maracanã”, que será exibido nesta quinta-feira, 29 de maio, no Museu do Futebol, em São Paulo.

28/05/2014

Crítica: Documentário “Maracanã” respeita a derrota dos brasileiros.

“Há quem diga que foi o jogo mais emocionante da história e que deixou sua marca em dois povos”. Com essa frase é apresentado, ao som do concerto número 2 de “As Quatro Estações”, de Vivaldi, o que as pessoas verão em “Maracanã”.

O filme mostra a versão uruguaia do “maracanazo” de 1950, um filme com imagens preciosas, inéditas e com um texto sensível, coisa de quem sabe ganhar.

Seus autores (Sebastián Bednarik e Andrés Varela) expõe os dois lados, com a alegria de quem triunfou e o respeito àqueles que perderam. O filme foi apresentado pela primeira vez no Estádio Nacional de Montevidéu, cenário da primeira vitória da Celeste em uma Copa do Mundo, em 1930.

Leia o artigo na íntegra no site da Folha, neste link. Ou, para não assinantes que já tenham atingido o limite mensal, neste link.

TRABALHOS | PROJETOS | NOTÍCIAS